Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

terça-feira

Própolis, um antibiótico natural

Considerada como um dos antibióticos mais potentes da natureza, a própolis protege o seu sistema imunitário como um escudo natural.

Pro – antes, e Polis – cidade. O termo própolis tem origem na Grécia antiga, onde significava “defesa da cidade”. A cidade, neste caso, será a colméia onde vivem as abelhas. A própolis desempenha um papel importantíssimo na defesa da colméia contra a invasão e proliferação de microorganismos (fungos, bactérias, vírus). Poderá dizer-se que a própolis funciona como que um “sistema imunitário” da colméia.

Esta capacidade desinfetante e protetora da própolis despertou um interesse, no homem, relativo à sua utilização. Os gregos reconheceram-lhe propriedades curativas e cicatrizantes, e utilizavam-na em feridas e determinadas doenças. Hipócrates, o pai da medicina moderna, prescrevia a própolis para tratar ferimentos e úlceras, quer a nível externo como interno. Os egípcios, que sempre consideraram a abelha como um animal sagrado, símbolo de coragem e o valor, também usaram a própolis para tratar inúmeras doenças. A própria mitologia romana refere esta substância.

O que é a própolis?

A composição da própolis engloba 50% de resina recolhida das árvores e plantas, 30% de ceras, 10% de óleos essenciais e 5% de pólen. Além destes ingredientes, a própolis possui ainda uma enorme variedade de aminoácidos, vitaminas, minerais e bioflavonóides, sendo estes últimos apontados como um dos ingredientes mais ativos no processo de regeneração.

Antibiótico natural sem efeitos secundários é assim que muitas vezes a própolis é designada. Investigações recentes do Instituto Nacional do Coração e do Pulmão de Londres demonstraram que a própolis tem a capacidade de destruir algumas bactérias que se revelaram resistentes a alguns dos antibióticos modernos sintéticos.

Nos últimos 20 anos inúmeros estudos e pesquisas científicas têm sido conduzidos a propósito da substância, não só na America como também na Europa, onde o uso desta substância é muito comum.

É cientificamente comprovada suas propriedades anti-bacterianas, anti-inflamatórias, anestésicas, anti-fugicidas e anti-bióticas.

Entre outras aplicações, a própolis tem sido usada em problemas circulatórios. Os chineses crêem que esta substância pode ser muito benéfica em situações de hipertensão, arteriosclerose e doenças coronárias. Nos problemas gastrointestinais, cientistas e médicos russos demonstraram que a própolis pode ajudar a prevenir úlceras e abscessos, assim como acelerar o processo de cicatrização de algumas doenças do foro gástrico. A própolis é também muito usada em problemas de pele. Algumas investigações americanas, polacas e russas demonstraram que a acne, alergias, herpes e outros problemas dermatológicos respondem bem à terapia com própolis. Além destas aplicações, à própolis é ainda atribuída a capacidade de ajudar a aliviar alguns problemas femininos, como sejam períodos menstruais dolorosos assim como infecções vaginais.

Fonte de pesquisa: http://performance.clix.pt/html/fitoterapia_desc.asp?id=265

Folder publicitário AAPIR

Nenhum comentário:

Postar um comentário