Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

segunda-feira

Spectreman

"Planeta: Terra.

Cidade: Tóquio.

Como em todas as metrópoles deste planeta, Tóquio se acha hoje em desvantagem em sua luta contra o maior inimigo do homem: a poluição.

E, apesar dos esforços das autoridades de todo o mundo, pode chegar um dia em que a terra, o ar e as águas venham a se tornar letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir?

Spectreman!!!".

Spectreman! Santo Deus! Falar deste seriado Live Action japonês é realmente rememorar os bons tempos da infância.

"Eu quero ser o superman"!

"Ah, é! Tudo bem, eu sou Spectreman!"

-Silêncio profundo-

Esta cena cômica foi a primeira "vitória" que o herói ciborgue da Nebulosa 71 me daria contra meus colegas de infância! Eu havia descoberto o herói que todos viriam a gostar primeiro do que eles! Eu era o Spectreman! Não faltaram muitas aventuras depois, e creio, fui um Spectreman tão bom quanto o original no lançamento do terrível Spectroflash (era esse mesmo o nome?). E a trilha sonora? Atire a primeira pedra aquele, da minha geração, que não cantalorou ao menos uma vez a música tema de Spectreman!

Mas, deixemos as reminiscências de lado e vamos aos fatos: Spectreman (Supekutoruman) é uma série de TV japonesa, criada por Tomio Sagisu e produzida pela P-Productions (a mesma produtora do terrível e famigerado Lion Man, que me perdoem os fãs!) e exibida em seu país originalmente na TV Fuji entre 2 de janeiro de 1971 a 25 de março de 1972, totalizando 63 episódios.

Foi um grande sucesso na época, dando mais impulso ao gênero tokusatsu, que compreende os filmes e seriados com efeitos especiais japoneses. A série foi exibida no Brasil inicialmente pela Rede Record no final da década de 1970 e depois, durante a década de 1980, pelo SBT.

A história tem ínicio no planeta Épsilon, situado na constelação de Sagitário, aproximadamente 40 mil anos-luz do sistema solar, vive uma civilização de simióides (Homens-macaco!), pacíficos e civilizados, muito avançada, com tecnologia muito superior à da Terra e sempre visada para o bem comum.

Até que um dia foi escolhido como o líder o genial cientista Dr. Gori. Detentor de um intelecto muito acima de qualquer ser humano, Gori na verdade era um mutante. Ao assumir o poder, Gori pretendia construir armas mortíferas para derrubar o governo central de Épsilon e conquistar planetas pelo universo. Gori achava que a tecnologia de sua civilização fora desperdiçada em projetos pacíficos.

Porém seu plano foi logo descoberto e Gori considerado culpado. Como na sociedade de Épsilon não havia pena de morte, a mente do cientista seria alterada de forma que sua maldade fosse eliminada. Porém antes que isso acontecesse, um oficial do exército chamado General Karas libertou Dr. Gori e ambos fugiram em uma nave. Vagando pelo espaço, a dupla chegou à Terra graças a uma tempestade eletromagnética. Gori ficou encantado ao ver a Terra, e analisando o planeta descobriu que os seres humanos estavam destruindo seu próprio planeta com a poluição. Indignado com isso, Gori passa a criar monstros a partir da própria poluição e com isso conquistar a Terra, transformando-a em seu paraíso particular.

Uma raça de vigilantes espaciais, os Dominantes do planeta Nebulosa 71, sabendo da chegada de Dr. Gori à Terra, envia o ciborgue Spectreman para proteger o planeta. Spectreman adota o nome de Kenji e se emprega na Divisão de Pesquisa e Controle de Poluição, chefiado pelo Chefe Kurata, e com este grupo investiga e combate as maquinações do Dr. Gori.

Curiosamente, a série teve 03 títulos:

1º - Macaco do Espaço Gori - nos episódios de 01 a 20 2º - Macaco do Espaço Gori versus Spectreman – nos episódios 21 a 39) 3º - Spectreman – nos episódios 40 a 63)

Fatos curiosos e interessantes da série é que os episódios 5 e 6 - O exílio de Spectreman, foram escritos por Kazuo Koike, conhecido no Brasil pelo seu trabalho com o famoso mangá Lobo Solitário. Nesse episódio, o herói desafia as ordens dos Dominantes, se recusando a matar uma família (que havia sido abduzida pelo Dr Gori e estava contaminada por poluentes mortais, com risco de contaminar toda a população), e por esse motivo é exilado.

Também interessante saber que o ator e modelo Jiro Dan estava inicialmente cotado para estrelar a série Spectreman, chegando inclusive a gravar um episódio piloto de oito minutos de duração, em que o herói tinha um visual bem diferente do que nós conhecemos. Após a gravação deste episódio, Jiro Dan não topou continuar no projeto final, optando por interpretar o herói Hideki Goh, da série "O Regresso de Ultraman".

Diga-se de passagem uma série excelente especialmente o encontro com o Ultraseven, mas isto é assunto para outra matéria.

O seriado do Spectreman, hoje, é motivo de todo o tipo de piada e acusações especialmente de ter sido uma espécie de "plágio" fazendo um encontro curioso entre a Família Ultra e Planeta dos Macacos. Os efeitos especiais são risíveis, especialmente as máscaras dos vilões símios (Gori e Karas), com agravante dos cabelos loiros lisos do Dr. Gori e (o que acho fantástico) os "lasers" das armas que eram desenhados e emitidos com uma "animação" constrangedora.

Tudo bem. Embora seja um fã confesso do seriado que não fecha os olhos aos defeitos que o tempo torna mais nítidos devo, porém, tentar defender o ciborgue da Nebulosa 71.

Embora as "influências" devam ser verdade (Homens -macacos estavam em moda na década de 70, pelo sucesso do filme), e os efeitos não sirvam para nada além de claro fazer rir e constranger até o Ed Wood no túmulo, o seriado é atacado e desvalorizado demais.

A qualquer um com um pouco de boa-vontade poderá ver que capítulos como "Um cérebro para medusóide", "A pedra Lunar", aonde ocorre a morte de Spectreman (tudo bem, ele retorna no capítulo seguinte, mas é um impacto), "Um amigo para Giro" (emocionante e trágico), "Vampiro do Espaço", O solitário cavaleiro do espaço (Foi a melhor seqüência, na minha opinião), e a "A maldição da feiticeira" (Sombrio com toque de terror) foram bem escritos.

Outros também poderiam ser citados como o do garoto que com o poder da mente da vida a um de seus brinquedos para se vingar e acaba criando uma séria ameaça.

Estes capítulos uniram ficção científica e terror e drama que, se não era uma mistura original (Ultraseven e família Ultra fizeram o mesmo), ao menos não eram histórias ruins e marcaram gerações.

Vale comentar um pouco sobre o Dr. Gori que apesar de ser um símio de cabelo loiro liso, tem um fator interessante: Era um vilão dúbio.

Ora, podemos considerar como vilão um cientista que chegou a conclusão de que os humanos estão destruindo o planeta? Era um criador de monstros politicamente correto, suas criaturas se originavam da própria poluição criada pelos seres humanos. Era um extremista, claro, mas amava e se fascinava tanto por nosso planeta que queria salva-lo a todo o custo e transforma-lo num paraíso. Se pelo menos, não quisesse exterminar a raça humana poderia ter sido um ecologista, filiar-se no greenpeace!

Brincadeiras a parte e seja como for, Spectreman entra definitivamente e inegavelmente para história dos clássicos live-actions japoneses, seja pelo sucesso estrondoso de sua época, ou mesmo pela diversão que causa ao ser assistido hoje com todas as limitações de estilo datadas que fazem parte de sua história

Personagens:

Kenji (Joji Gamu no original) Chefe Kurata Ota Kato Wada Minnie Chieko Yumi Kimie Doutor Gori General Karas

Confronto final com Dr. Gori:

7 comentários:

  1. ÓTIMO SERIADO QUE MARCOU MINHA INFÂNCIA, PENA QUE NÃO FIZERAM UM FILME, TIPO A HOMENAGEM QUE FOI FEITA PARA OS 40 ANOS DO ULTRAMAN ( ULTRAMAN MEBIUS & ULTRABROTHERS ). GRANDE ABRAÇO PELA MATÉRIA.

    ResponderExcluir
  2. Deu uma refrescada na memoria. Não sabia da origem do Dr. Gori. Lembro que ele estava na nave no céu e gesticulava com os braços e quase não abria a boca para falar. Muito boa a matéria, deu para voltar por uns minutos a minha infância.

    ResponderExcluir
  3. Espetacular a estória de Espetreman, muito boa.
    Deveriam de refazer com efeitos novos mantendo o personagem.

    ResponderExcluir
  4. Nossa... Parabéns pela matéria. Amo Spectreman e ao ler sua matéria foi como uma viagem ao tempo e relembrar de tudo o sentido deste seriado! Muito boa essa visão do Dr Gori, pena que os humanos, apesar desta série ter sido gravada em 1971, ainda não aprenderam nada sobre respeitar o meio hambiente!

    ResponderExcluir
  5. nao tem comenterios,,só quem viveu essa época sabe como foi maravilhoso...akilo era o sonho de toda garotada anos que se foram.e que iremos sempre nos lembrar. avante cavaleiro da nebulosa.....

    ResponderExcluir
  6. faço questão,por parte de vocês,que me passem,por favor, a trilha sonora brasileira em inglês do spectreman.sou um fã imensurável,pra não dizer o número 1º desse seriado fantástico.só sei que a banda se chama:mystic moods,e mais nada.faço votos de que disponha e compartilhem comigo.um abraço e até mais.valeu!!!

    ResponderExcluir
  7. UMA BOA MATÉRIA.NOS FAZ LEMBRAR DOS TEMPOS DE IMFÂNCIA,EM QUE OS SERIADOS DE TV COMO ESSE ERAM O NOSSO MELHOR ENTRETENIMENTO.PARABÉNS!

    ResponderExcluir