Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

sexta-feira

Akira

Akira. Um dos personagens e tramas mais fascinantes já criados. Uma obra monumental do gênio de Katsuhiro Otomo, um clássico do estilo cyberpunk, . O mangá originou o longa-metragem com o mesmo nome, lançada em 1988, que também tem roteiro e arte de Katsuhiro Otomo e causou furor, na época, pela qualidade dos efeitos de animação.

Akira, trabalha basicamente sobre a ideia de indivíduos com poderes sobre-humanos, em particular as capacidades psicocinéticas, mas, não a história não foca os poderes em si, e sim na complexidades psicológicas das pessoas envolvidas, até que ponto um grande poder afeta a nossa sanidade? Também problemas sociais e políticos numa crítica a alienação da juventude, corrupção do governo e sua tentativa de controle simbolizada aqui num sistema militarizado. Mas, apesar de tocar nestes pontos não se trata de um tratado filosófico, é um mangá e todas as cenas de ação e aventura convenientes ao gênero cyberpunk estão lá e não decepcionam.

Li o mangá e assisti ao filme. São duas obras com diferenças consideráveis e o mangá é bem melhor. Bem, temos que lembrar que são linguagens diferentes e Katsuhiro Otomo fez o que pôde. No geral, temos um longa de animação muito interessante. No mangá, o nome de Akira é sempre dito com reverência e mistério, existe sempre uma grande expectativa. Na verdade, muitos acreditam que Akira não passa de uma lenda que ele não existe realmente, assim seu surgimento apenas no segundo volume causa uma grande catarse.

No filme, não é possível, em tão pouco tempo recriar este clima. Outra diferença crucial é que, no filme, Akira foi dissecado para pesquisa e os seus restos mortais permanecem armazenados em crioconservação por baixo do Estádio Olímpico de Tóquio. O que não ocorreu no mangá.

Personagens

Shotaro Kaneda (Kaneda Shōtarō) — O protagonista. Kaneda, o típico anti-herói. Líder de uma gang de motos, "rebeldes sem causa". Embora possa tomar atitudes nobres em determinadas circunstâncias ele não essencialmente bom ou nobre, é muitas das vezes um tremendo arrogante e egoísta. Isto gera em seu melhor amigo Tetsuo sérios problemas de auto-estima e carência que se tornam a brecha de eventos devastadores. A certa altura, para salvar a personagem Kei, ele irá se unir a um grupo de guerrilha antigovernamental que tenta encontrar o misterioso Akira.

Tetsuo Shima (Shima Tetsuo) — O melhor amigo de Kaneda desde a escola primária. Quase irmãos. Caim e Abel neste caso. Tetsuo admira Kaneda quase tanto quanto o inveja. Não é lá muito bem tratado pelo amigo, não possui auto-confiança e parece sentir que o mundo deseja permanentemente reduzi-lo ou humilha-lo. Pior para o mundo, quando ele descobre ter o potencial de poder suficiente para ser um novo Akira. Uma mente fragilizada pode conter o poder absoluto sem se tornar insana?

Kei conhecida como Kay — É uma mulher que Kaneda conhece na trilha em busca de Tetsuo. Ela é um membro de uma organização antigovernamental na qual Ryo e Nezu estão envolvidos.

Masaru, Kiyoko and Takashi — Os três "números", Takashi é o causador de todo o início do enredo. Kiyoko é o Número 25, Takashi é o Número 26, e Masaru é o Número 27.

Akira — O mais poderoso dentre as crianças psíquicas. Ele foi o causador da III Guerra Mundial. Ele é o Número 28.

Nezu — É um infiltrado no Governo. Ele é o responsável pelo rapto de Takashi, embora não se envolva pessoalmente.

Kai — É um membro da gang "capsules", que costuma seguir Kaneda sem se envolver demansiadamente com o que quer que seja.

Coronel — É o diretor do projeto Akira. Suas atitudes são dúbias, um vilão sem escrúpulos, ou um homem de coragem que realmente sabe o que está em jogo?

Quanto a história em si, o enredo se passa na cidade de Neo-Tokyo do século 21 que foi erguida sobre os escombros de Tóquio, uma cidade destruída por uma criança - o colosso psíquico conhecido como Akira.

Akira foi mantido em animação suspensa desde o holocausto, mas outros sobreviventes do programa militar secreto, anciões psíquicos formidáveis em corpos de crianças, sabem que um dia Akira vai despertar.

Surgem Tetsuo e Kaneda, membros de uma gangue de jovens motociclistas. Um acidente violento desperta os poderes tele cinéticos dormentes em um furioso e instável Tetsuo, que logo explode em uma revolta psíquica assassina contra amigos e inimigos, e transformando Kaneda de irmão de sangue em inimigo mortal. O misterioso Coronel, líder de "O Projeto", usa uma super droga para manter Tetsuo sobre controle, mas Tetsuo logo se desenvolve além do controle do Coronel e de suas crianças psíquicas - Takashi, Masaru e Kiyoko. Tetsuo não é apenas mais um. Ele é, potencialmente o NOVO Akira.

A situação torna-se complexa, ninguém deseja que uma nova hecatombe ocorra é preciso deter Tetsuo. Ou tentar salva-lo? Este é o dilema e o tempo trabalha contra os personagens, a cada momento Tetsuo se torna mais poderoso e incontrolável. Quando descobre que a Akira ainda vive sente o desejo de confrontar o superser. O que acontecerá nesse encontro? As superpotências não estão alheias ao assunto e acabaram por intervir se necessário. Uma quarta guerra mundial não está fora das possibilidades. O que fará o mundo com dois Akiras livres ou se combatendo?Todos os personagens tem seus próprios planos e interesses. Alianças surgem e se desfazem a todo o instante, todos querem destruir ou beneficiar-se do poder de Akira.

E se estiver vivo, o que Akira fará?

A trama intrincada e instigante nos leva num devenir de contínuas reviravoltas e emoções. O próprio Akira é o grande enigma. Quem é ele? Porque destruiu Tóquio anos atrás? Qual é, afinal, o seu poder? Akira tem a forma de uma criança, mas fica claro que ele transcende toda a raça humana, um pequeno deus em forma de criança ou um deus-criança. O que o torna potencialmente mais perigoso já que reagiria por instintos. Mas será? Ou sua compreensão é mais vasta e tudo o que faz é coerente a um plano além da compreensão meramente humana?

Assista o filme e se puder leia o mangá. Akira é uma aventura extraordinária mas, também um enigma cuja compreensão dependerá do entendimento de quem lê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário