Panacéia dos Amigos

sexta-feira

As bolas de fogo de Araçariguama

Continuo buscando em meio ao meu baú de casos misteriosos, novas histórias. Sempre me interessei pelo mistério e busquei informações em várias revistas e livros. Com este blog, procuro compartilhar um pouco disto, deixo abaixo as referências para que os leitores possam buscar se quiserem estas fontes que fornecem relatos e informações tão assombrosas. Estas abaixo, ocorreram no Brasil, e nos levam a meditar sobre o quanto realmente temos domínio sobre os acontecimentos de nossa vida.

_____________________________________________

Aconteceu numa segunda-feira de Carnaval, 4 de março de 1946, e até hoje o caso sobre essa luz estranha e mortal continua sendo um mistério para os moradores da pequena cidade de Araçariguama, interior de São Paulo.

Ninguém sabe explicar aquele evento que marcou para sempre a história da cidade. Apenas três lavradores, que na época eram adolescentes e presenciaram o fato, estão vivos para falar sobre as bolas avermelhadas que atacavam sem piedade.

"Era Carnaval e o João resolveu ir pescar logo cedo. Tudo aqui era mato, não havia energia elétrica ainda. Depois da pesca, ele voltou para o sítio onde tudo aconteceu", afirma Luis Prestes, 60 anos, sobrinho do falecido. Segundo ele, por volta das 9h daquela segunda-feira, João chegou ao sítio e, quando estava na sala, foi surpreendido pela presença de uma grande bola de fogo avermelhada. Ela se dividiu em duas e entrou uma luz na sala onde ele estava. "O corpo dele ficou completamente queimado, mas suas roupas estavam intactas", afirmou o sobrinho.

João teve queimaduras de 2º e 3º graus. Agonizou por nove horas antes de morrer. Mesmo assim, depois de ser socorrido, foi interrogado pelo delegado João Malaquias. Segundo Luiz, João apenas dizia que tinha sido atacado pela luz, que ela tinha invadido o sítio e o queimado.

"Não foi ninguém, foi a luz que veio do céu", repetia antes de morrer. A piora de Prestes acontecia rapidamente. Depois da queimadura, suas carnes começaram a se desprender do corpo, com se tivessem sido cozidas em água fervendo. Ele começou a sentir dores insuportáveis e a ter alucinações. Depois vieram as convulsões e a morte.

Muitos na cidade não acreditaram na história, acharam que ele tinha bebido muito durante a pescaria e se queimado com a lamparina de querosene que levava consigo. Porém, como?

Se realmente fosse um incêndio, móveis, cortinas e sofá também seriam queimados. Mas, nada queimou além do corpo de Prestes. Os lavradores Paulo de Matos, 68, e João Roque de Andrade, 72, que também presenciaram o caso na época, disseram que no caixão, o corpo de João ficou muito dilacerado, inchado, fora dos padrões normais.

O caso acabou sendo esquecido pela população e até virou lenda para assustar crianças. Mas, como numa promessa sinistra e macabra, a luz mortal voltaria a atacar. Quinze anos depois da morte misteriosa de João Prestes, mais um membro de sua família foi atacado, o também lavrador Ermeliano Prestes, primo de João.

Tudo aconteceu durante uma caçada. Ermeliano estava na antiga Estrada do Cotiano, indo para o meio do mato caçar javali quando percebeu que estava sendo "seguido" por uma bola de fogo. Como no ataque anterior, a bola se dividiu em duas e começou a radiar uma luz intensa e bem forte sobre Ermeliano.

Segundo o seu filho, ele se escorou em um barranco, tirou do bolso todas as rezas que conhecia e desafiou a luz. Por mais incrível que pareça a luz foi embora. Ermeliano chegou em casa com pequenas queimaduras (e roupas intactas) e contou a história para todos, revivendo a lenda da luz mortal.

Depois de muitos anos, Ermeliano morreu. Causa da morte: Câncer de pele devido a exposição a radiação. O que poderia ter acontecido nestes dois ataques? Será que a luz mortal , era obra de um OVNI fazendo experiências mortais com seres humanos? Segundo a família de João, a ossada dele encontra-se atualmente nos Estados Unidos para estudos.

Após a morte do lavrador, até hoje considerado um caso clássico na ufologia brasileira, as bolas de fogo foram batizadas de "Boitatá". Hoje, onde ficava a antiga Estrada do Cotiano, encontra-se um retiro espiritual evangélico conhecido como Vale da Benção. No local, os freqüentadores constantemente vêem luzes, mas nunca foram atacados. Por quê? O mistério continua...

Fonte: Revista 89 FM

12 comentários:

  1. O demo disfarçado de OVNI

    ResponderExcluir
  2. Ta passando no Balanço Geral de SP,agora . Na minha opnião São alienígenas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. será que não era uma rena incandescente do trenó do papai noel?

      Excluir
    2. SÃO BOLAS QUE SAEM DO FUNDO DA TERRA
      ONDE MORAM SERES INTRA-TERRENOS

      Excluir
  3. kkk não po, eram balões meteorológicos rsrsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bobinhos essas bolas eram os meteoros de pegasu!!

      Excluir
  4. Kkk neh nao gente eh as mães do ouro kkkk

    ResponderExcluir
  5. eu particularmente acredito sim.que nao estamos so....

    ResponderExcluir
  6. Vejo smpr essa bola de fogo no mato mas nun cmsigo sabe oke é

    ResponderExcluir
  7. veejo smpr essa bola de fogo no matto anda mtto rapido e apaga se e dpoiis vouta teensso '.'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagens de o que e bola de fogo que aparecem em sitio

      Excluir
  8. eu ja vi, e conheço várias pessoas que ja viram esta luz, na noite que eu vi ela a minha mae foi no mesmo local e desafiou ela, na noite ela apreceu dentro de casa iluminando toda a casa, nao sei o que dizer. interior da bahia

    ResponderExcluir