Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

sábado

Paradoxo que não é



Sou um bom dia.
E uma noite ruim.
E uma madrugada fria.
Um amanhecer carmesim.
E não sou!


Sou um homem pés no chão.
Sou um homem em pleno vôo...
Sou um homem em distorção,
pleno, vazio, bêbado e abstêmio.
E não sou!


Sou uma palavra ansiosa...
Sou um poema desonesto, em parte,
cheio de intenção generosa,
mas,feito para descarte!
E não é verdade!


Sou um sentimento honesto,
buscando uma rara precisão,
dentro de um desejo desonesto..
Mas, não em vão!
E será que não?

Sou um defeito honesto,
buscando uma mudança incerta...
Insatisfeito em restos
mas, com a boca aberta...
e salivante!

Sou uma verdade mentirosa
e uma mentira verdadeira!
Paradoxo de feitura onerosa
sem eira ou beira...
e sem chão!


Não me apresento, nem te represento.
Não caminho, mas vou...
Porque sou um fato, um tento!
E não sou...
...não sou
!

Paulo Moraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário