Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

quarta-feira

A história dos Evangelhos





O massacre de Masada extinguiu as aspirações de liberdade do povo judeu. Então essas aspirações foram perpetuadas pelos Evangelhos sob forma religiosa. Os estudiosos modernos são unânimes em dizer que os Evangelhos datam , em sua maior parte , do período entre as duas principais revoltas na Judéia - 66 a 74 d.C. e 132 a 135 d.C. - sendo baseadas em narrativas anteriores e tradições orais. 


OS EVANGELHOS


MARCOS (66 A 74 D.C.) - ATÉ O CAPÍTULO 16:4

Parece Ter vindo de Jerusalém e companheiro de Paulo. Se Marcos quisesse que seu Evangelho sobrevivesse, não podia apresentar Jesus como um anti-romano e teria que aliviar os romanos de toda culpa pela morte de Jesus. Esse artifício foi adaptado não somente pelos autores dos outros Evangelhos, mas também pela antiga igreja cristã. Sem tal artifício, nem os Evangelhos, nem a igreja teriam sobrevivido. 


LUCAS (+/- 80 D.C.)

Médico grego que compôs seu trabalho para um oficial romano de alto escalão em Cesárea, a capital romana da Palestina. 


MATEUS (+/- 85 D.C)

Deriva diretamente do de Marcos, embora este tenha sido composto originalmente em grego e reflita características especificamente gregas. O autor parece Ter sido um judeu, possivelmente refugiado da Palestina. Não deve ser confundido com o discípulo Mateus. Os Evangelhos de Marcos, Lucas e Mateus são conhecidos como "Sinópticos" significando que eles vêem "olho no olho" - o que, é claro, não fazem.


JOÃO (+/- 100 D.C)

Composto nas vizinhanças de Éfeso , na Turquia - por um homem chamado João. É geralmente aceita como uma tradução posterior. Não há nele, a cena de natal, nenhuma descrição do nascimento de Jesus, e a introdução é quase gnóstica. O texto é decididamente de natureza mais mística e o conteúdo também difere. 


Contém episódios que não figuram nos outros evangelhos : o casamento de Canaâ, Nicodemus , José de Arimatéia, Cura de Lázaro (embora esse último tenha sido incluído no Evangelho de Marcos). Com base em tais fatores , estudiosos modernos tem sugerido que o Evangelho de João , a despeito de sua composição tardia , pode ser o mais fidedigno e historicamente acurado dos quatro. Mais do que os outros, ele parece originar-se de traduções correntes entre contemporâneos de Jesus, bem como de outros materiais inacessíveis a Marco, Lucas, Mateus.


Um estudioso moderno observa que o texto reflete um conhecimento topográfico aparentemente de primeira mão da Jerusalém de antes da revolta de 66 d.C. o mesmo autor conclui: Por trás do quarto Evangelho existe uma velha tradição independente dos outros Evangelhos..


(Brandon, Jesus and Zealots, p.16)

Nenhum comentário:

Postar um comentário