Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

terça-feira

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo - O Templo de Ártemis



...E assim 800 anos depois de sua destruição, o magnífico Templo de Artemis em Efesus, uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, foi completamente esquecido pelas pessoas da cidade. O mesmo Templo que era sinal de orgulho pelos seus habitantes.

...E não há nenhuma dúvida que o Templo era realmente magnífico. " Eu vi as paredes e Jardins Suspensos da Babilônia, " escreveu Philon de Byzantium, " a estátua de Zeus olímpico, o Colosso de Rhodes, o trabalho poderoso das Pirâmides altas e a tumba de Mausoléu. Mas quando eu vi o templo em Efesus que sobe às nuvens, todas estas outras maravilhas foram postas na sombra ".
Então, o que aconteceu a este templo? E o que aconteceu para a cidade ? O que fez Efesus passar de um movimentado porto de comércio para um pântano?

Os Vários Templos a Artemis ou Diana
O primeiro santuário para a Deusa Artemis foi construído provavelmente em torno de 800 a.C. em uma faixa pantanosa perto do rio em Efesus. A Deusa Artemis de Efesus, às vezes chamada de Diana, não é a mesma Artemis cultuada na Grécia. A Artemis grega é a deusa da caça. A Artemis de Efesus era uma deusa de fertilidade e foi pintada freqüentemente com peitos múltiplos, símbolos de fertilidade.

Aquele templo mais antigo tinha uma pedra sagrada, provavelmente um meteorito que tinha caído de Júpiter ". O santuário foi destruído e foi reconstruído várias vezes durante uns cem anos. Em 600 a.C., a cidade de Efesus tinha se tornado um porto principal de comércio e um arquiteto nomeado Chersiphron foi designado para construir um novo templo, só que maior. Ele o projetou com altas colunas de pedra. Preocupado que as carroças que fossem carregar as colunas atolassem, Chersiphron pôs as colunas nos lados rolou-as até o local onde elas seriam erguidas.

Este templo não durou muito. Em 550 a.C. o Rei Croesus de Lydia conquistou Efesus e as outras cidades gregas de Ásia Menor. Durante a luta, o templo foi destruído. Croesus se provou um vencedor cortês, contribuindo generosamente à contrução de um novo templo.

Este estava próximo do último dos grandes templos de Artemis em Efesus. Acredita-se que o arquiteto é um homem chamado Theodoro. O templo de Theodoro tinha 300 pés de comprimento e 150 pés de lado, com uma área quatro vezes maior que a do templo anterior.. Mais de cem colunas de pedra apoiavam o telhado volumoso. O novo templo era o orgulho de Efesus até as 356 a.C. quando uma tragédia, chamada Herostratus, surpreendeu.

Herostratus de Efesus, um jovem que não media esforços para ter seu nome escrito na história. E ele conseguiu isso, queimando o templo, e levando-o ao chão.Os cidadãos de Efesus ficaram tão apavorados com esse ato que eles decretaram que quem falasse em Herostratus seria executado.
Logo após esta ação horrível, um templo novo foi "encomendado". O escolhido foi Scopas de Paros, um dos escultores mais famosos da época. 

Efesus era neste momento uma das maiores cidades na Ásia Menor e nenhuma despesa foi poupada na nova construção. De acordo com Piny um antigo historiador romano, o templo era um " monumento maravilhoso do esplendor grego, e que é digna da nossa admiração."

O templo foi construído no mesmo lugar pantanoso, como antes. Acredita-se que a construção foi a primeira a ser completamente construída com mármore e uma das suas características mais incomuns eram 36 colunas, cujas porções mais baixas foram esculpidas com figuras de alto-alívio. O templo também alojou muitas obras de arte, incluindo quatro estátuas de bronze de mulheres Amazonas.

O comprimento do novo templo era de 425 pés e a largura era de 225 pés. 127 colunas de 60 pés de altura sustentavam o talhado. Em comparação com o Pathernon, cujas ruínas estão em Acrópolis em Atenas, tinha apenas 230 pés de comprimento, 100 pés de largura e tinha 58 colunas.

De acordo com o historiador Piny, a construção levou 120 anos, entretanto alguns peritos suspeitam pode ter levado só a metade do tempo. Nós sabemos que quando o Alexandre o Grande chegou em Efesus em 333 a.C., o templo ainda estava em obras. Ele se ofereceu financiar a conclusão do templo se a cidade o creditasse como o construtor. Os vereadores não quiseram o nome de Alexandre esculpido no templo, mas não quiseram lhe contar isso. Eles deram a resposta diplomática : "Não está certo que um deus construa um templo para outro" e Alexandre não levou a sua idéia adiante .

Rampas térreas foram empregadas para levar as vigas de pedra pesadas para cima das colunas. Este método parecia funcionar bem até que uma das maiores vigas fosse colocada em cima da porta. Foi abaixo, torta e o arquiteto não achou nenhum modo para conseguir desentortá-la. Ele estava preocupado até que ele teve um sonho na qual a Deusa apareceu lhe dizendo que ele não deveria se preocupar, pois Ela tinha movido a pedra para a posição formal. Na manhã seguinte, o arquiteto achou que o sonho foi verdade. Durante a noite, o povoado tinha colocado a viga no seu devido lugar.

A cidade continuou prosperando durante uns cem anos era o destino de muitos peregrinos que iam ver o templo. Um comércio de souvenirs se espalhou ao redor do santuário. Eles vendiam miniaturas de Artemis, talvez semelhante a estátua dela do templo. Foi um desses empresários, Demetrius, que deu a St. Paul momentos desagradáveis em sua visita a cidade, 57 d.C.

St. Paul veio para a cidade para converter pessoas para a então nova religião, o Cristianismo. Ele obteve tanto êxito que Demétrius temeu que as pessoas esquecessem de Artemis e ele fosse perder o seu sustento. Ele chamou outros comerciantes e fez um discurso agressivo: "Grande é Artemis de Efesus !". Então eles prenderam dois companheiros de St. Paul e uma multidão seguiu. Finalmente a cidade foi em silêncio, os homens de St. Paul liberados e Paul voltou para Macedonia.
Foi o Cristianismo de St. Paul que ganhou no fim. Na época em que o grande Templo de Artemis foi destruído durante uma invasão gótica em 262 D.C., a cidade e a religião de Artemis estavam em declínio. Quando o Imperador romano Constantine reconstruiu Efesus, depois de um século, ele se recusou recontruir o templo. Ele tinha se tornado um cristão e tinha pouco interesse em templos pagãos.

Apesar dos esforços de Constantine, Efesus caiu em relação a sua importância como uma das capitais do comércio. A baía onde navios ancoravam desapareceu, e o lodo do rio tomou conta dela. No fim, a cidade ficou a milhas do mar, e muitos dos habitantes deixaram o pântano para viver em colinas vizinhas. Os que permaneceram usaram as ruínas do templo para realizar contruções. Muitas das finas esculturas foram moidas e viraram pó, para fazer gesso.

Em 1863 o Museu Britânico enviou John Turtle Wood, arquiteto, para procurar o templo. Wood encontrou muitos obstáculos. A região estava infestada de bandidos. Trabalhadores eram escassos. O orçamento dele era muito pequeno. A maior dificuldade era descobrir onde estava o templo. Ele procurou o templo durante seis anos. Cada ano o Museu britânico ameaçava cortar os fundos a menos que ele achasse algo significante, e ele sempre os convencia a arcar por mais um ano.

Wood continuou voltando ao local todo ano apesar do sofrimento. Durante a primeira estação ele foi lançado de um cavalo e quebrou a clavícula. Dois anos depois ele foi apunhalado no coração numa tentativa de assassinato do Cônsul Britânico em Smyrna.

Finalmente em 1869, 20 pés ao fundo de uma cova, a tripulação dele bateu na base do grande templo. Wood escavou e removeu 132,000 jardas cúbicas de pântano para deixar um buraco de 300 pés de largura. Foram achados os restos de algumas esculturas e foram transportados o para Museu Britânico onde eles podem ser vistos até hoje.

Em 1904, uma outra expedição do Museu Britânico, sob a liderança de D.G. Hograth continuou a escavação. Hograth achou evidências de cinco templos no local, construídos um em cima do outro.

Hoje o local do templo é um campo pantanoso. Uma única coluna está erguida para lembrar aos turistas que uma vez, esteve naquele lugar uma das maravilhas do mundo antigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário