Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

segunda-feira

Galaxy Trio

Outra obra de Hanna-Barbera que é  lembrada pelos da minha geração, e fez parte da infância de quase todo mundo: O Galaxy Trio.

Quem? Na verdade, são realmente poucos que vão se recordar de imediato. Mas, no melhor estilo “quem-não-tem-cão-caça-com-gato”, a Hanna-Barbera teve este grupo que parecia muito, na minha opinião, com o tipo de presença que o Quarteto Fantástico da Marvel transmitia, mas enfim, não há nada claro nesta linha, é uma sensação minha que tinha ao assistir os dois desenhos nos idos dos anos 80.

O desenho foi criado por Alex Toth e Hanna-Barbera. Galaxy Trio foi uma animação com episódios curtos de aproximadamente 8 minutos cada. Cada programa trazia, além de dois episódios do Homem-Pássaro (que eu também gostava muito e coloquemos na lista o Spaaaaaaace Ghoooooosttttt!), um com o trio de heróis. Os dois desenhos foram criados pela Hanna-Barbera em 1967 para serem exibidos numa mesma sessão, mas o canal de televisão NBC preferiu lançá-los em dias separados.

O retorno do público foi tão positivo que os heróis acabaram sendo adaptados para as histórias em quadrinhos, aparecendo originariamente na revista Hanna-Barbera Super TV Heroes #2 de Setembro de 1968, ou seja indo ao encalço do Quarteto em seu próprio “habitat”, as HQs.

 
O Galaxy Trio era um grupo de super-heróis extraterrestres que combatiam o crime intergaláctico, cada um provindo de um planeta diferente, mas que possuíam entre si, traços muito parecidos, não é curioso?. Para quem assistia, eles tinham traços físicos quase idênticos, como se pertencessem do mesmo planeta. Talvez fosse mais fácil vender a imagem desta maneira. O grupo era formado pelo Homem-Vapor (Vapor Man), Homem-Meteoro (Meteor Man) e Gravity Girl. Eles patrulhavam o espaço num cruzador chamado Condor (Eu adorava este nome) e lutavam em nome de uma agência denominada Patrulha Galáctica.

O Homem-Vapor tinha como habilidade principal transformar parte ou o todo de seu corpo em forma gasosa, permitindo voar, e escapar de lugares pequenos ou apertados.


O Homem-Meteoro era um nativo do planeta Meteorus e tinha como habilidade aumentar ou diminuir de tamanho e também ganhava uma força sobre-humana sobre qualquer membro que ele quisesse aumentar.


A Garota Flutuadora (mais uma heroína ruiva) tinha a habilidade para dobrar as leis da gravidade e com isso conseguindo voar ou erguer objetos muito pesados somente com força de sua mente. Em outras palavras uma mistura de Jean Grey dos X-Men e Magneto.Ela era originária do planeta Gravitas e havia deixado sua luxuosa vida para lutar contra o crime com a Patrulha Galáctica, juntando-se ao dois outros heróis.


As aventuras embora curtas e sem dúvida ingênuas divertiam. Era sempre bacana ver um grupo de heróis, qualquer grupo. E como eu disse eles passavam aquela sensação de unidade do Quarteto Fantástico o que era bem interessante. Além disso, Galaxy Trio, Birdman e Space Ghost eram quase complementares para fazer uma feliz tarde infantil, não é mesmo? Quem viveu, viveu..

Atualização por Mario Pons

2 comentários:

  1. Warner podia reutilizar esse desenho e outros e fazer filmes e até mais desenhos desses personagens

    ResponderExcluir