Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

quinta-feira

Circo de teatro, Tubinho, o rei do riso.

Nestes últimos dias, o sorriso tem sido fácil para mim. Tenho tido a feliz oportunidade de assistir os espetáculos do circo teatro do Tubinho, o rei do riso. O palhaço Tubinho é o personagem principal de diversas peças apresentadas diariamente e pude assistir quatro delas. A satisfação é garantida com gargalhadas gerais. O palhaço Tubinho é, em minha opinião, um dos melhores personagens cômicos já criados. Seus bordões são hilários, os maneirismos, as caras e bocas são divertidas por si.

Os atores do elenco complementam perfeitamente esta sintonia de talento. É como um time de futebol coeso em que cada um faz sua parte na jogada de gol, e o artilheiro é o ator José Pereira França Neto, o palhaço Tubinho, que não satisfeito em apenas fazer o gol, dribla, ginga, e encanta o público como os melhores craques. Ah, e ainda é o técnico do time já que é o diretor das peças, haja trabalho!

Para os que não conhecem, a tradição do Circo Teatro Tubinho vem de longe e esta é a história: O Circo de Teatro Tubinho foi criado em 1959, por Juve Garcia, encerrando suas atividades em 1978, em Curitiba. Pouco antes de sua morte em 1994, Juve, ainda no hospital, passou o nome de Tubinho a seu sobrinho Pereira França Neto. Através de uma junção entre Pereira França Neto, sua irmã Silvana Pereira e seu pai Amilton Garcia, no dia 29 de junho de 2001 renascia o Circo de Teatro Tubinho na cidade de Arapoti (PR) com a peça "E o Tubinho Apareceu". Sendo erguida de novo a lona o que colocou novamente os Pereira na estrada. Contando hoje com mais de 90 peças no repertorio tradicional de circo de teatro (ou teatro de circo), esta grande família com 35 pessoas leva ao palco debaixo de uma lona de 20m x 26m com espaço para 500 cadeiras o cico-teatro feito em sua essência, com dramalhões, dramas, tragédias, melodramas, comédias, chanchadas e infantis.

Além de oferecer espetáculos teatrais todos os dias, o Circo Teatro do Tubinho oferece uma OFICINA DE CIRCO TEATRO para a cidade aonde realiza sua temporada, além de parcerias com escolas com peças especiais para alunos e professores gratuitas para as escolas públicas e também realiza parcerias com o comércio local promovendo os patrocinadores durante os espetáculos.

A cada dia, uma peça nova é apresentada, não há repetição. Sempre um novo espetáculo. Gargalhamos com as peças cômicas, nos emocionamos com as precisas e comoventes atuações dramáticas e nos encantamos com as infantis, mas sempre ficamos satisfeitos.

Vejam que interessante! As histórias do palhaço Tubinho, ainda que cômicas, ocorrem na vida real, e Tubinho, um palhaço, em momento algum é identificado como tal. É como se uma figura mítica da alegria, o palhaço, de repente pousasse no dia a dia das pessoas fazendo graça, aprontando mil, divertindo sem limites. Isto torna o Tubinho uma figura mágica em meio à vida “real” dos personagens, este contraste realçam com cores mágicas o cinza da vida dando encanto ao personagem nos paralelos de um Didi Mocó e, se me permitem a ousadia, um Carlitos. Mas, devo adicionar, como disse minha adorável esposa, que este aloprado palhaço parece ou provavelmente tenha algum Saci-Pererê no bolso para aconselhá-lo de vez em quando...

Ingênuo, malicioso, divertido, dramático, furioso, medroso...etc? Do que você precisa para ser feliz hoje? Estará lá. O palhaço Tubinho, o rei do riso esconde todas estas facetas no seu baralho de peças habilmente escondidas nas mangas da diversão e quando você menos espera surge um ás, um coringa...neste universo fantástico aonde as surpresas nunca acabam!

Sempre atingindo grande sucesso no interior paulista, em suas temporadas o Circo de Teatro Tubinho comemora os 50 anos do personagem principal, o palhaço Tubinho. Neste momento, eles estão por aqui e a alegria está garantida. Se vocês tiverem a sorte de receberem em suas cidades, este maravilhoso espetáculo não perca a chance! Procurem conhecer mais sobre este trabalho no site oficial, nos vídeos do You Tube. Vale a pena, eu garanto!

Visitem o site: www.tubinho.com.br

Alberto

(Clique na imagem para vê-la ampliada.) Por Paulo Moraes Alberto é meu personagem de tiras mais antigo, na verdade, uma parceria com um grande amigo que o criou (embora o visual fosse ligeiramente diferente,) eu mudei alguns detalhes e dei a personalidade nilista dele. Alberto tem me acompanhado por encartes culturais, jornais, fanzines e agora na Interntet.

O laranja

Clique na imagem para vê-la ampliada.

Os Mutantes

Mutantes! Meus caros, agora estamos falando dos Mutantes! A mais incrível e vanguardista de todas as bandas brasileiras de todos os tempos!

Influenciados fundamentalmente pelos Beatles os quais amavam(Certa vez, Sean Lennon perguntou a Sérgio Dias como eles conseguiram fazer um som tão incrível e a resposta foi: “Simples! Bastou ouvir os discos do seu pai!), a banda Mutantes formada por jovens músicos talentosos, no ano de 1966, em São Paulo, com Arnaldo Baptista (baixo, teclado, vocais), Rita Lee (vocais) e Sérgio Dias (guitarra, baixo, vocal). Também participaram do grupo Liminha (baixista) e Dinho Leme (bateria), pegou a deixa da criatividade e renovação dos quatro de Liverpool adicionou o tempero brasileiro e se uniu ao maestro Rogério Duprat (O George Martin deles) para criar uma das melhores discografias do mundo!

A banda é considerada um dos principais grupos do rock brasileiro. Além do inovador uso de feedback, distorção e truques de estúdio de todos os tipos, os Mutantes foram os pioneiros na mescla do rock com elementos musicais e temáticos brasileiros. Outra característica do grupo era a irreverência. Se antes dos Mutantes, o gênero no Brasil era basicamente imitativo, a partir do pioneirismo de Arnaldo, Sérgio e Rita, abriu-se o caminho do hibridismo.

Em 1966, os Mutantes fizeram participações em programas de TV, tais com “Astros do Disco”, “Jovem Guarda”, “O Pequeno Mundo de Ronnie Von”(Ele, inclusive, batizou a banda). Isso permitiu que o som deles chegasse aos ouvidos do maestro Rogério Duprat, este em suas palavras registrou que “caiu de amores imediatamente pela maior banda de rock que o Brasil havia produzido até então”.

Consequentemente os chamou para contribuírem no arranjo de “Domingo no parque”, canção de Gilberto Gil (E, de outro lado, convenceu Gil a avaliá-los o que levou ao primeiro encontro e futura parceria) para o III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record de São Paulo (1967). Não satisfeitos com isso, eles ainda acompanharam o próprio Gil em sua apresentação no mesmo festival. Esse evento abriu as portas para um primeiro compacto – O RELÓGIO (1967) – e a participação no “disco - manifesto” TROPICÁLIA OU PANIS ET CIRCENSIS (1968), que deflagrou o Movimento Tropicalista liderados por Caetano Veloso e Gilberto Gil contando com artistas como Nara Leão, Torquato Neto, Tom Zé, Rogério Duprat, Gal Costa e claro, os Mutantes.

Inicialmente como um trio, quando se apresentaram em um programa da TV Record, até terminar em 1978 com apenas Sérgio Dias como integrante original, durante estes doze anos, foram gravados nove álbuns - sendo que dois deles, O A e o Z e Tecnicolor, foram lançados apenas na década de 1990. Navegaram livremente pelo rock, rock progressivo, hibridismo psicodélico à brasileira, sempre em constante mutação. Após o lançamento de Tecnicolor que foi reconhecida no cenário do rock nacional e internacional a importância dos Mutantes como um dos grupos mais criativos, dinâmicos, radicais e talentosos da era psicodélica e da história da música brasileira e mundial.

Recentemente, em 2006, Sérgio Dias e Arnaldo voltaram a se reunir com Dinho Leme e adicionaram a ótima cantora Zélia Duncan para o retorno dos mutantes para uma turnê. Logo depois, Zélia e Arnaldo se desligaram.

Este ano, Arnaldo e Dinho agregaram novos músicos, estabeleceram uma parceria profícua com Tom Zé e lançaram um novo álbum que teve boa repercussão perante a crítica internacional.

E a mutação continua num eterno devenir...

Longa vida aos Mutantes!

quarta-feira

Teorias Conspiratórias..

Armas de controle psicotrônico contra cidadãos

Militares norte-americanos estão desenvolvendo tecnologias de controle mental remoto, para utilização contra milícias e manifestações públicas. Estas novas tecnologias armamentistas, desenvolvidas inicialmente pelos agentes da KGB soviética, baseam-se na utilização de ondas eletromagnéticas e acústicas de baixíssima freqüência (20 a 35 Hz), causando desorientação, dores e em casos extremos a morte. O governo americano possui dispositivos capazes até mesmo de simular seqüestros por UFOs, projetando imagens holográficas de modo a implantar pequenos "chips" nas supostas vítimas, com a finalidade de seu monitoramento contínuo.

Cerco de Montana apenas esconde invasão inglesa

Existem fortes indícios de que o cerco ao grupo fundamentalista conhecido como Freemen, no estado de Montana, EUA, na verdade escondia uma tentativa de invasão de forças inglesas e da Nova Ordem Mundial. Armamento pesado, artilharia e um esquadrão de helicópteros foram mobilizados para o local, e os comandantes das unidades estão orientados a manter estrita disciplina e apenas ordenarem fogo quando atacados.

3.a Guerra Mundial completa 42 anos

A 3.a Guerra Mundial, também denominada Guerra Silenciosa, completou 42 anos de existência neste mês de maio. Com a finalidade de garantir o poder da classe dominante, as novas tecnologias eletrônicas passaram a ser utilizadas a partir de 1954 para promover o controle social sobre grupos indisciplinados e de classes sociais inferiores. Desde então, a família passou a ser progressivamente atacada e desintegrada, facilitando a reeducação dos mais jovens. A mídia vem desde então bombardeando seu público com produtos de entretenimento de baixo nível, e a escola vem sofrendo um processo de desmantelamento, para impedir a ascensão social das camadas mais baixas. O objetivo final da Guerra Silenciosa é basicamente manter a Economia mundial sob controle, de modo a assegurar a paz, a ordem social e a tranqüilidade da elite dominante.