Panacéia dos Amigos

VISITAÇÃO

sexta-feira

Sandman " Prelúdios e Noturnos"

Histórias em quadrinhos costumam ser subestimadas pelos leigos que a consideram uma literatura menor. Ledo engano. A história das HQs estão repletas da mais brilhante literatura e arte. É claro que não se trata da maioria do que é produzido, mas qual arte ostenta o título de ter apenas obras-primas? Certamente não há uma sequer. A questão é que as HQs , muito em função do maior sucesso das histórias de “super-heróis” do mercado americano e ou infantis como Disney e outros, é percebida apenas como entretenimento de crianças e jovens pela maioria da população.

Ora, é isto também, como qualquer arte é entretenimento e também é arte! E possui alguns artistas primordias tais como Will Eisner, Goscinny, Uderzo, Moebius,Ozamu Tezuka, Frank Miller,Alan Moore, Grant Morrison, John Byrne, Barry Windsor-Smith, Warren Ellis, Dave Mckean, Bill Sienckwicz e...enfim, muitos, muitos artistas extraordinários! Entre todos eles, , destacamos, agora, NEIL GAIMAN. Neil Gaiman (Portchester, 10 de novembro de 1960) é um autor de romances e quadrinhos inglês. A sua criação quadrinística mais conhecida é Sandman, que tem como personagens principais o Sandman, uma personificação antropomórfica do Sonho que também é conhecido como Morpheus, numa referência à mitologia grega e seus irmãos, Morte, Destino, Delírio, Desejo, Desespero e Destruição. 



Seu primeiro arco de histórias foi a série "Prelúdios e Noturnos", sobre a qual me detenho agora. Esta é , resumidamente, a história de PRELÚDIOS E NOTURNOS: Em 1916, um culto místico inglês pretendia capturar a própria morte e, assim, ter o controle sobre o poder vital. Comandado por um homem que atende pelo nome de Magus, na madrugada do dia 10 para o dia 11 de junho daquele ano, o procedimento ritual foi executado. E encerrado assim que algo foi capturado. Mas, não era a morte, no entanto, o procedimento não fora um fracasso absoluto, pois, certamente, era alguém tão poderoso quanto ela. Quando pequenas disfunções relativas ao sono são percebidas aqui e ali no mundo, percebe-se quem foi aprisionado: o próprio Mestre dos Sonhos. No ano de 1988, o filho do Magus, que continuou o trabalho de tentar um pacto com a criatura aprisionada, cometeu um erro banal e quebrou o círculo mágico que prendia Sonho. O mundo começa gradualmente a despertar. E as mudanças se fazem sentir em todo o planeta. É neste ponto que o Perpétuo, agora liberto, começa sua trilha para recuperar suas ferramentas de poder e reconstruir seu reino, outrora maravilhoso e, agora, despedaçado.


A qualidade inegável desta obra transformou Sandman num sucesso quase imediato. A missão de Neil Gaiman era  criar um novo personagem a partir de um conceito tão utilizado nos quadrinhos DC, o Sandman (sim, houveram outros) , genial ele optou por uma rota bastante diversa dos outros, tornando as histórias de Sandman verdadeiras fábulas de fantasia que conquistaram fãs em todo o mundo, e um grande culto de admiração no Brasil. Mas, Histórias em quadrinhos , são o encontro da literatura e arte, e Sandman, como uma das grande obras das HQs, possuía a ambos os atributos. As magníficas capas do brilhante (e, à época, novato) Dave McKean e arte estranha, porém adequada de Sam Kieth, e a correta e pop de Mike Dringenberg, fizeram jus ao texto que ilustraram.

Quase impossível expressar o impacto que a obra teve sobre mim, ainda um adolescente. Sua qualidade primorosa me elevou. Começava a compreender o que era de fato um texto primoroso, rico, criativo. Esta obra abriu minha mente para tudo o que de bom me fascinaria depois. Li, antes de Alan Moore, antes de Tolkien, antes de Zelazny, Antes de Bradbury, antes de tanta coisa! E, por isto, sua influência foi tão marcante. 

SANDMAN: Prelúdios e Noturnos é uma obra sensacional, para ser lida e relida. E como uma das obras máximas de arte das HQs, sua relevância permanecerá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário